Nutrição

Quanta gordura os cavalos precisam comer?

Saiba como os cavalos usam a gordura dietética e confira recomendações atuais para a alimentação de ácidos graxos ômega-3 e ômega-6

Muitos criadores e proprietários de cavalos devem se perguntar: qual é o papel da gordura na alimentação dos cavalos e qual é a porcentagem recomendada para a dieta equina? Normalmente, quando pensamos em alimentar cavalos com gordura, é para aumentar a densidade energética da dieta, já que é um bom candidato para isso porque fornece 2,25 vezes mais calorias por grama do que a mesma quantidade de carboidrato.

De acordo com a nutricionista equina Clair Thunes, o aumento das calorias da gordura em vez dos carboidratos simples pode ajudar um cavalo a ficar equilibrado em comparação com a alimentação com as mesmas calorias adicionais de amido. Alimentar com alguma gordura na ração também oferece outros benefícios.

“Com o tempo, à medida que os cavalos se adaptam a ter gordura na dieta como fonte de energia, podem ocorrer adaptações metabólicas que aumentam a oxidação durante o exercício. Como o corpo só pode usar gordura como combustível ao trabalhar aerobicamente, essa mudança para queimar preferencialmente como combustível no aeróbico preserva os estoques de glicogênio para uso durante o trabalho anaeróbio. Isso pode aumentar potencialmente o tempo até a fadiga. Outro papel importante da gordura dietética é facilitar a absorção de vitaminas solúveis em gordura, como A, D, E e K”.

Ainda segundo Clair Thunes, certos tipos de gordura fornecem fontes de ácidos graxos essenciais de cadeia longa. Estes incluem os ácidos graxos poliinsaturados (PUFAs), ácido linoléico e ácido alfa-linolênico. “Esses e outros PUFAs desempenham papéis estruturais dentro das células e são precursores de importantes compostos semelhantes a hormônios, como prostaglandinas e eicosanóides. Eles também estão envolvidos na resposta inflamatória”, explica.

Percentual de gordura nas dietas

Uma dieta à base de forragem composta predominantemente de pasto de boa qualidade pode oferecer 2 a 5% de gordura. “Isso será menor (cerca de 2-3%) em dietas de forragem conservada porque o processo de cura do feno pode danificar a composição de gordura. As dietas de pasto de boa qualidade terão níveis mais altos de ômega-3 do que os ácidos graxos ômega-6 – cerca de três vezes mais”.

Por outro lado, a nutricionista conta que as dietas à base de feno têm quase duas vezes mais ômega-3 do que os ácidos graxos ômega-6. Depois de adicionar o alimento concentrado, a quantidade de gordura ômega-6 tende a ser maior do que ômega-3. Isso potencialmente tem implicações no nível celular, porque as gorduras ômega-3 e -6 têm impactos diferentes na resposta inflamatória. Como resultado, alimentar cavalos com fontes suplementares de ácidos graxos ômega-3 se tornou popular.

As gorduras ômega-6 desenvolveram uma má reputação nos últimos anos, pois são rotuladas como pró-inflamatórias, enquanto as ômega-3 são consideradas antiinflamatórias, frisa Clair Thunes. “No entanto, em certas situações, algum nível de inflamação é benéfico. Na verdade, não há uma exigência equina para a gordura ômega-3, mas sim para o ácido linoléico de ácido graxo ômega-6. Isso não significa que as gorduras ômega-3 não sejam necessárias, mas a necessidade não foi quantificada”.

A necessidade de ácido linolênico para cavalos é de cerca de 50 gramas por dia para um cavalo de 500 kg (1.100 libras) comendo 2% de seu peso corporal em forragem por dia. Um cavalo de 500 quilos comendo 10 quilos de matéria seca de pasto fresco com um teor de gordura de 3% está consumindo 300 gramas de gordura por dia. A maioria dos alimentos comerciais com teor de gordura de 4% ou mais inclui uma fonte , como farelo de arroz ou algum tipo de óleo vegetal. Quanto maior a porcentagem, mais desses ingredientes a ração contém.

Por fim, a nutricionista equina deixa orienta: “Seja alimentando uma pequena quantidade para ajudar a melhorar a qualidade da pelagem ou uma quantidade maior para ajudar a manter a condição, a gordura é um nutriente importante na dieta equina. Se você deseja aumentar as calorias na ração do seu cavalo para ganho de peso, uma alimentação rica em gordura fortificada, ao contrário do óleo, tem o benefício de ser fortificada com outros nutrientes para ajudar a garantir uma dieta adequadamente balanceada”, finaliza Clair Thunes.

Por Cavalus Comunicação Equestre
Fonte: Baseado em artigo científico divulgado no site The Horse
Crédito das fotos: Divulgação/Pixabay

Clique aqui e veja outras dicas no blog da Protécnica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo