Bem-estar animal

Um guia completo sobre gastrite em cavalos

Saiba o que é a doença, os principais sinais clínicos, como é feito o diagnóstico e, por fim, o tratamento da gastrite em cavalos

Gastrite é o termo geral usado para descrever inflamação e / ou irritação do revestimento do estômago. Dessa forma, a gastrite em cavalos é sempre um sintoma de uma doença subjacente. Portanto, o manejo eficaz depende primeiro da identificação da patologia subjacente.

Sendo assim, a gastrite em cavalos é mais comumente atribuída a:

  • Síndrome da Úlcera Gástrica Equina (EGUS, sigla em inglês Equine Gastric Ulcer Syndrome), que é diferenciada por:
    – Doença Gástrica Escamosa Equina (ESGD – Equine Squamous Gastric Disease)
    – Doença glandular gástrica equina (EGGD – Equine Glandular Gastric Disease)
  • Infecção parasitária de Gasterophilus (borbulhas)

Sinais clínicos de gastrite em cavalos

Os sintomas indicativos de gastrite em cavalos podem incluir:

  • Perda de peso
  • Falta de apetite
  • Mudanças na condição corporal e da pelagem
  • Mudanças no comportamento
  • Dificuldade em manter a condição
  • Estereotipias como cribbing ou mastigando lenha,
  • Baixo desempenho.

No entanto, esses sintomas também podem ser atribuídos a uma ampla variedade de patologias gastrointestinais. Sobretudo, que afetam o intestino posterior, tornando o diagnóstico diferencial crucial.

Diagnóstico Diferencial para Gastrite

A gastroscopia é o recurso recomendado para diagnosticar quase todas as patologias do estômago equino. Com o aumento da disponibilidade e a diminuição do custo de endoscópios capazes de visualizar todo o estômago do equino, aliada à alta incidência de ulceração gástrica em equinos modernos, essa ferramenta torna-se essencial em qualquer prática.

Tratamento da gastrite em cavalos

Os tratamentos variam de acordo com o estado da doença subjacente que causa gastrite. ESGD e EGGD em particular, por exemplo, têm respostas dramaticamente diferentes à terapia comumente prescrita com omeprazol e, portanto, requerem abordagens diferentes.

Por exemplo, um estudo independente mostrou que um suplemento nutricional de ajuda digestiva é mais eficaz do que o omeprazol na cura de úlceras gástricas em longo prazo.

No caso do EGGD é recomendado que o animal seja suplementado com protetores da mucosa, bem como antibióticos, se houver suspeita de envolvimento bacteriano. As opções para proteção da mucosa incluem:

  • Sulcrafato – adere à mucosa ulcerada, estimula a secreção de muco e aumenta o fluxo sanguíneo.
  • Pectina-lecitina – aumenta a concentração total de muco.

Por fim, já no caso da Infecção parasitária de Gasterophilus a ivermectina costuma ser eficaz contra os estágios oral e gástrico de bots. Quando usado como parte de um programa de controle de parasitas de rotina, o uso apropriado de ivermectina demonstrou controlar eficazmente os gasterófilos em cavalos.

Consulte sempre um médico veterinário!

Antes de mais nada vale destacar que este artigo é apenas para uso informativo. Portanto, consulte sempre um veterinário para iniciar qualquer trabalho em seus cavalos.

Fonte: Succeed Veterinary Center
Crédito da foto: Divulgação/Pixabay

Clique aqui e veja outras dicas no blog da Protécnica

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo